quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

bicicleta transporte no Rio de Janeiro

Idade: 59 ANOS
Altura: 1,70 M
Cidade: RIO DE JANEIRO
Mensagem: Moro no Rio de Janeiro. A minha residência fica próxima das ciclovias e ruas secundárias com possibilidade de utilização da bicicleta devido ao menor tráfego de carros.
Gostaria de comprar uma boa bicicleta para uso, em média, de 3 a 4 dias por semana. Algo bem especial compatível com o meu tamanho e utilização. Pretendo usá-la eventualmente em ladeiras, com possibilidade de trilhas- futuramente.
Pretendo também usar acessórios recomendados para a segurança. Em termos de visual gosto das bicicletas de corrida, mas admito que provavelmente não seja o modelo indicado para o uso que pretendo.
-----------------------------------------------------------------


bom dia

Uma bicicleta de corrida definitivamente não é o caso. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Bicicleta própria para transporte deve ser tranqüila, de condução previsível, dócil; oferecer a possibilidade de transportar bagagem, de ter pára-lamas... Enfim, deve transportar o trabalhador com conforto e segurança. Não é o caso de bicicletas de competição.

Vale aqui uma história real: A alguns anos os ciclistas de NY descobriram o prazer de ir trabalhar com bicicletas estilo europeu, principalmente as estilo holandês. Descobriram, por exemplo, que com a bicicleta apropriada chegavam no trabalho pouco suados. Bicicletas esportivas induzem a uma condução mais agressiva, portanto com mais suor. Descobriram que numa posição mais em pé é mais fácil ver o trânsito, portanto mais seguro (e por sua vez o ciclista mais em pé é bem mais visível para os motoristas). Descobriram que poderiam pedalar "chic", que tem sido o grande fenômeno nestes últimos anos.

Eu recomendo que você dê uma olhada nas híbridas, com rodas 700, e nos modelos da linha "confort" com roda 26. Pelo que você escreve provavelmente se dará melhor com rodas 700, mas não sei se vai encontrar algum modelo próprio para seu tamanho, que provavelmente deve ser uma 16 ou 17. Em muitas híbridas a medida é S, M, L, ou pequena, média, grande. Provavelmente a sua é uma S, mas isto só vai ficar claro testando.

Opte por um modelo que tenha pontos de fixação para bagageiro e pára-lama. Bagageiro com alforje é uma solução muito prática.

A Decathlon trouxe para o Brasil umas bicicletas próprias para transporte. A linha Elops é muito legal, mesmo os modelos com 7 marchas. Vê o que eles tem por ai

Não dá para ter tudo de uma vez só. Pensa na bicicleta como modo de transporte primeiro. Depois, se for o caso, pensa numa para as trilhas. Um passo por vez.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

30 anos depois, de volta aos pedais. Mas que bicicleta?

Nome: (mulher)
Idade: 53
Altura: 1.68
Cidade: sp
UF: sp
Mensagem: Faz 30 anos que não pedalo e estou por fora. Preciso de uma bicicleta anatômica porque tenho problemas de coluna, que fosse fácil carregar no porta malas de um sedan, que fosse fácil para pedalar na cidade ou em parque
-------------------------------------------------------- ---------
D
bom dia

A 30 anos não havia tantas opções de bicicletas. Hoje é possível ter uma bicicleta no tamanho correto, que no seu caso provavelmente é uma tamanho 16 ou talvez 17. Só testando para sentir, o que hoje as boas bicicletarias não só permitem, mas em alguns casos estimulam. E há vários modelos, desde os esportivos aos urbanos, que creio que seja a melhor opção para o que você pede. Bicicletas que tem qualidade permitem com muita facilidade retirar e colocar de volta a roda dianteira, o que facilita demais o transporte em qualquer veículo que rebata o banco traseiro.

Uma bicicleta de qualidade, do tamanho e modelo correto para o ciclista, roda bem em qualquer situação. Tem seu preço, mas vale a pena.

Nestes 30 anos a bicicleta mudou tudo para melhor. Agora, se você for optar pelas bicicletas básicas a coisa é igual ao que era: baixa qualidade, defeitos, falta de opções, falta de conforto, dores... Não recomendo. Bicicleta barata sai muito caro.

Dependendo do sedam só vai entrar fácil dobrável. Com bicicleta normal vai ter que tirar as duas rodas, o que não é difícil.

Opções: Há algumas femininas nacionais tamanho 17: Caloi, Soul e Blitz. A Caloi e Soul permitem subir o guidão mais que a Soul.

Há uma série de opções femininas importadas que eu recomendaria que você olhasse com cuidado. Há modelos no estilo europeu, holandês, bem confortáveis: cano baixo, guidão alto, curta entre guidão e selim. Creio que ai vai encontrar o que sua coluna precisa

A opção final é comprar uma bicicleta dobrável. Ai é muito importante optar pela qualidade e não pelo preço. Esta vai entrar dentro de qualquer carro

Teste algumas bicicletas antes de fazer a opção final

Caso tenha que transportar a bicicleta no banco traseiro compre um cobertor de casal e enrole a bicicleta

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

venda do tamanho da bicicleta pelo diâmetro do aro

Altura: 1,80
Cidade: Barueri
UF: sp
Mensagem: Estou procurando informações para compra de uma bike, para não fazer besteira e deixar ela encostada. Na tabela de vocês mostra o tamanho do quadro como sendo um fator importante, mas quando procuramos uma bike a informação que nos passam é o tamanho do aro do tipo "aro 26", a pergunta é os dois são a mesma coisa ou realmente eles não apresentam o tamanho do quadro?.
Nenhuma informação para compra descreve o tamanho ideal da pessoa para a bike e o peso que suporta.
Fico no aguardo, obrigado e bom fim de ano a todos.
-----------------------------------------------------------------

boa tarde

Quem vende uma bicicleta dizendo o tamanho do aro, 26, é porque ou está vendendo uma bicicleta muito básica, ou porque não conhece nada de bicicleta. Quem faz isto não deveria vender bicicletas. Esta é uma situação que não acontece em uma bicicletaria séria.

Outro ponto que imagino é que você está procurando bicicletas muito básicas, as quais não recomendamos. Estas bicicletas costumam ser tamanho 19, mas dado a baixa qualidade quebram até com ciclistas muito leves. Não valem a pena.

Para a sua altura o tamanho recomendável é 20, dependendo de um pequeno teste para saber com precisão. Dê uma olhada na página e entenda como se mede o tamanho de uma bicicleta http://www.escoladebicicleta.com.br/medidaseuso.html. Completando o que disse acima, infelizmente há muitas pessoas que trabalham com bicicleta que tem uma cultura muito pobre sobre bicicletas e seu uso.

Nós temos no site a página "que bicicleta comprar" - http://www.escoladebicicleta.com.br/comprar.html - que dá todas informações que você deseja. Este material foi criado para também ajudar quem está dentro do mercado

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br


segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

bicicleta barata e câmbio que não funciona

Idade: 25
Cidade: Palmas
UF: TO
Mensagem: Comecei a pouco tempo a usar bicicleta e estou cada dia que passa mais apaixonado. Sou estudante de grana curta. Comprei uma Caloi dessas que vende em supermercado e semana passada resolvi dar um "up" nela, dei revisão, troquei algumas peças. Só depois fui aprender melhor sobre peças e vi que tinham colocado um cambio traseiro bem simples, da marca Sunrun, por 25 reais, que pelo visto na internet custa 3 reais. Paguei 70 Reais numa revisão mal feita, pois com os passadores novos Shimano e tudo mais as marchas não seguram direito quando estou em uma subida por exemplo. Como devo proceder? E que marca de bicicleta me sugere para o próximo passo?
-----------------------------------------------------------------


Boa tarde

Um câmbio SunRace custa por volta de R$ 25,00 mesmo. Nunca ouvi falar em Sunrun, portanto imagino que seja um SunRace, que é simples, mas honesto.

Se há algum site que oferece um câmbio traseiro por R$ 3,00 minha recomendação é no sentido que não compre porque deve haver alguma coisa errada. Não existe câmbio tão barato; e eu acredito no que a Polícia Federal tem divulgado: "Se é muito barato desconfie. Possivelmente é golpe". É impossível vender algo que custa aproximadamente R$ 25,00 por um preço tão baixo. Não existe esta matemática econômica.

Pelo jeito a bicicleta não é nova e já foi bem usada. Provavelmente o sistema de transmissão deve estar bem usado, gasto.

O sistema de transmissão é formado por um conjunto de peças e componentes que trabalham em conjunto. Se uma destas peças ou componentes não estiver em boa condição vai afetar todo o sistema.

Se trocar o câmbio traseiro e os passadores de marchas resolve parte do problema, mas o cabo estiver enroscando no conduite, a troca de marchas na mão não será transmitida com perfeição para o câmbio, que por sua vez deixará a corrente fora da posição ideal nas engrenagens da catraca.

Se a catraca ou a corrente estiverem gastas, provavelmente a corrente vai pular com um esforço maior; que é o que parece que está acontecendo com sua bicicleta. Correntes costumam ter vida útil bem menor que as catracas. Com uma corrente nova é possível ver se catraca e corroas do pedivela estão em condição de seguir rodando. Se as engrenagens estiverem só um pouco gastas a corrente vai se acomodar em uns dias de uso. Se as engrenagens estiverem muito gastas não haverá outra saída que não seja troca pedivela e catraca, e ai a bicicleta usada vai sair cara.

Infelizmente a qualidade do trabalho oferecido por muitas oficinas é precário, quando não pior que isto. Com um pouco de leitura provavelmente você terá uma noção de como funciona uma bicicleta, que é bem simples, e não vai ficar tão exposto a mecânicos ruins

O próximo passo para uma bicicleta melhor é acreditar numa verdade: "O barato sai caro". Sempre! Não existe milagre. Qualidade tem seu preço. O que você está passando praticamente todos nós passamos. Aprende com esta bicicleta, pedala ela até encontrar uma melhor, se for o caso. Aprendemos muito pedalando bicicletas que dão trabalho. Mas, tenha certeza, bicicleta boa não dá problema.

Teste muitas bicicletas antes de fazer a troca desta bicicleta. Teste nacionais e importadas, marcas conhecidas e desconhecidas, teste tudo. Esta é outra forma de saber qual é a melhor

Para terminar: compre uma bicicleta que seja própria para seu tamanho.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

Eurobike Award 2011

Imperdível
http://www.designboom.com/weblog/cat/8/view/16405/eurobike-award-2011.html




Brasil já teve uma bicicleta premiada na Europa, que foi a Caloi Ceci, creio que lá pelo meio dos anos 70.
A questão do desenho industrial hoje está um tanto esquecida aqui no Brasil, infelizmente, ou tristemente. Desenho industrial bem feito é uma prova de respeito e inteligência de uma sociedade.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

ainda sobre contramão e pedalar nas estradas

Muito obrigado pela sua dica. Você realmente me convenceu de que o melhor a fazer é andar na mão certa. Nunca tinha pensado nessa hipótese da soma e da subtração de velocidade, e muito menos na teoria do bêbado. A ajuda de uma pessoa mais experiente é sempre bem vinda. 
 
A
Falei sobre a mão de direção e esqueci de algo muito importante.

Quando sair para estrada vai vestindo uma roupa que o motorista te veja de longe. Uma camiseta amarela, laranja, branca. Nunca vá pedalar com roupas cinzas, verdes, ou qualquer outra cor que deixe você camuflado. E se for no final da tarde use lanterna traseira.

O ciclista visível faz uma enorme diferença para o motorista. As concessionárias aqui de Sâo Paulo tem números que mostram que o simples uso de refletor na bicicleta baixa muito os acidentes

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

pedalar na contramão

Nome: A Idade: 16 anos
Cidade: pequena
UF: MG
Mensagem: Olha só eu ando muito de bicicleta em estradas e acho que andar de bicicleta na contra mão é uma forma de prestar atenção em quem vem na sua direção, pois se um carro que vem na sua frente desvia r de um buraco e jogar pra cima de você, você poderá se defender, se jogando em um barranco por exemplo (não que isso seja a melhor forma).Mas e se você está na mão certa e um carro que vem na suas costas jogar para cima de você, você não verá e não será capaz de se defender. Andar na contra mão é uma forma de manter contato visual com o veículo que passa ao seu lado.
Gostei muito do seu site, tem boas dicas para manter uma vida atlética saudável. Obrigado pela atenção.
Abraços.
A
-----------------------------------------------------------------


A
boa tarde

Eu entendo a sua posição, mas segurança não é o que a gente acredita, mas uma ciência praticamente exata que é construída nos números existentes, no caso, números sobre acidentes.

Pedalar na contramão é o que mais mata ciclistas no mundo, não só no Brasil. Quando você bate de frente você tem um impacto que soma a velocidade da bicicleta com a do automóvel. Se o ciclista estiver a 20km/h e carro a 40km/h, o choque do ciclista no carro será de 60km/h, mortal para qualquer pessoa. Se o ciclista estiver na mesma direção do carro a velocidade de impacto será a do carro menos a do ciclista, ou seja, 20km/h, o que é uma batida muitíssimo mais leve e provavelmente não mortal. As velocidades numa estrada são maiores, portanto a situação é mais crítica.

Há um outro fator importante: quando o ciclista bate de frente ele tem um instinto natural e trava o corpo, o que aumenta muito ferimentos e fraturas. Quando o ciclista é pego por trás ele normalmente está com o corpo mole, o que ajuda absorver o impacto. É o que na segurança do trânsito chamamos de "efeito bebado", porque bebado fica com corpo mole e quando cai no chão dificilmente se machuca.

Como ciclista, como alguém acostumado com trânsito pesado e difícil, como alguém que acompanha esportes de velocidade há mais de 40 anos, tenho certeza absoluta que nem piloto de Formula 1 tem reflexo para desviar a bicicleta na hora de um acidente. Sempre digo nas palestras que o ciclista é o coelho e o carro é o caçador, e que se o tiro for dado na direção do coelho ele não vai conseguir pular fora. Provavelmente ele se machuca ou morre.

Os índices nacionais e internacionais mostram que a maioria dos acidentes graves envolvendo bicicleta o ciclista estava na contra-mão. Acidentes onde o ciclista é pego por trás são raros.

Não pedale na contramão

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

documentários sobre bicicleta

nome: V O

Gostaria de saber se tem conhecimento de algum documentário que tenha como tema principal a bicicleta.
Gostaria muito de assistir algo do gênero, sabe de algum título?
 

To: Arturo Alcorta
Cc: V O

V,
Sobre a Critical Mass em Nova Iorque recomendo o Still We Ride.
Outro muito bom e que vai além da bicicleta é o Contested Streets:
http://www.youtube.com/watch?v=I_LJu0XWlNc

Nacionais temos o "Sociedade do Automóvel"
http://www.ta.org.br/sociedadedoautomovel/

De cabeça é isso.
abs
João Guilherme Lacerda
http://blog.ta.org.br/


Ruas sustentáveis de NY - Sérgio Abranches
Um dos melhores comentários sobre transformação urbana

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta 


sábado, 10 de dezembro de 2011

compra de oferta de uma full básica

nome:
altura: 1,64m
UF: SP

Li as informações do site na página “que bicicleta comprar” e gostei muito das informações. Mas vi uma promoção e acabei comprando uma bicicleta full por R$ 469,00. Quero saber se fiz um bom negócio?

-----------------------------------------------------------------


bom dia

Não fez um bom negócio. Compra por impulso é o mais comum dos erros. Normalmente o produto comprado acaba não sendo exatamente o desejado, ideal ou mesmo o melhor negócio.

Você comprou uma bicicleta que com quase toda certeza é grande para seu corpo. Estes modelos básicos normalmente são tamanho 19, muito grande para quem o tamanho ideal deve ser uma 16. É muita diferença.

Outra questão é a bicicleta ser full, ou seja, com suspensão dianteira e traseira. No preço citado é impossível vender uma bicicleta com suspensão traseira que funcione bem. Pelo que você pagou levou aparência e peso extra. Pior, o custo da suspensão traseira faz com que o resto das peças sejam mais baratas, portanto piores que uma bicicleta normal.

Não dá para devolver a bicicleta e procurar uma melhor?

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br


segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

que bicicleta de criança? (um drama no Brasil)

Nome: D
Idade: 10
Altura: 1.30m
Mensagem: Bom dia ,
Qual bicicleta é adequada para meu filho que já pedala sem rodinhas. A  bicicleta seria para lazer.
E (mãe)
-----------------------------------------------------------------

E
bom dia

Depende do perfil de seu filho. Quem quer passear, vocês com ele ou ele com vocês? E ai, volto ao perfil de seu filho.

Se seu filho é mais tranqüilo talvez seja o caso de ir para uma bicicleta aro 24. Há modelos com marchas e ai será uma questão de explicar como estas funcionam. Temos um texto explicativo na página “pedalar melhor” - http://www.escoladebicicleta.com.br/melhor.html

Se ele tiver um perfil mais esportista, mais atirado, recomendo que compre uma BMX aro 20, que é uma espécie de kart das bicicletas, ou seja, uma escola para formar bons ciclistas, aprimorar coordenação motora, técnicas. E talvez até colocar ele num curso básico de BMX, o que ajuda muito na formação da criança.

O que não recomendo é bicicleta aro 26, mesmo os modelos de tamanho pequeno. Até uma tamanho 14 vai ficar muito grande

O ponto principal é que a bicicleta tenha qualidade, o que aqui no Brasil é complicado. Não compre as mais baratas porque a brincadeira vai sair cara. Elas quebram muito e algumas são até perigosas para a criança. Compre de marca conhecida e que tenha boa referência: Caloi ou Soul, que é pouco conhecida, mas merece ser avaliada.

Muito importante também é que a bicicleta seja dimensionada para a criança.  A maioria das bicicletas nacionais para crianças são cópias muito mal feitas de bicicletas de adulto, o faz com que a criança não consiga pedalar com a qualidade ideal e com segurança plena. A maioria das crianças se acidenta porque não conseguem parar corretamente porque simplesmente não conseguem acionar o freio ou porque a bicicleta as obriga a pedalar “pendurada”, fora do equilíbrio dinâmico apropriado.

Os manetes de freio devem ser próprios para mãos pequenas. O pedivela deve ser curto, uns 160mm. Os comuns são para adultos, com 170mm  de comprimento. A distância entre selim e guidão deve permitir que a criança não fique jogada para frente.Estas qualidades são difíceis de encontrar nas nacionais.Uma opção é comprar a bicicleta e ajustar a bicicleta para seu filho, o que uma bicicletaria séria faz sem problema.

Eu estou procurando uma bicicleta para uma menina de 6 anos e sei o quanto é difícil encontrar uma que tenha qualidade. Estou quase indo para uma importada, que são bem mais caras, mas são projetadas corretamente e não quebram .

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

terça-feira, 29 de novembro de 2011

trabalho faculdade: demanda reprimida

nome:
UF: SP

Estou fazendo um trabalho escolar na faculdade e não consigo fazer os itens abaixo
clasificação no sistema de produção
previsão de demanda
acompanahmento das ultimas demanda
critério do calcu lo de demanda
acompanhamento da demanda

No aguardo e agradeço desde já
-----------------------------------------------------------------

bom dia

Praticamente não existem números sobre a questão da bicicleta. Não há praticamente nada nem no estado nem no setor privado, o que é literalmente uma vergonha.

Do pouco que existe, e não se sabe se pode ser confiável:

Município de São Paulo:

  • pesquisa O.D. Metro, modo principal e objeto "transporte para trabalho": 0.6% das viagens = 165.000 viagens / dia. Esta pesquisa não é considerada por conta dos filtros que tem e que excluem ciclistas, mas é o número oficial
  • número "não oficial" aceito pela CET SP: 350.000 ciclistas / dia, que a todos parece mais realista
  • pesquisa Secretaria de Esportes (para Ciclo Faixa de Domingo, primeira fase): 700.000 ciclistas / domingo com sol

Provável demanda reprimida: 700.000 - 350.000 = 350.000 ciclistas / dia

Há outras formas de calcular a demanda reprimida, pensando que provavelmente os usuários de bicicletas durante a semana são mais estáveis e imaginar que há uma variante nos usuários de fim de semana, ou seja, que há um fator fixo de ciclistas que saem todo fim de semana, mas há um grande número que num domingo vai pedalar, noutro não. Pensando desta forma se deve levar em consideração que o número de bicicletas paradas em casa é muito alto, segundo os fabricantes além de 3 milhões (eles também não tem um número preciso). Neste caso a demanda reprimida aumenta muito, muito mesmo

Dá uma olhada nestes gráficos da cidade do Rio de Janeiro e perceberá que há uma imensa diferença entre os dados oficiais e a realidade:


Como professor faço a recomendação que revise qualquer texto antes de enviar, mesmo que seja mensagem eletrônica. Bom português é crucial.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Montar uma bicicleta de competição

Nome: j
Idade: 48
UF: sc
Mensagem: gostaria de montar uma bicicleta de competição
-----------------------------------------------------------------
J
boa tarde

Resposta simples e definitiva: não faça o erro de tentar montar uma bicicleta de competição. Compre uma pronta de alguma marca que já estános campeonatos internacionais.

Eu tenho um amigo que tem uma posição financeira muito cômoda e que montou uma bicicleta com tudo do bom e do melhor e acabou de fazer uma prova na Europa. O pessoal experiente olhou para a bicicleta dele com espanto. Apesar de ser uma maravilhosa bicicleta ela não é comparável com as top de fábrica. Demorou muito para ser montada. Parece que saiu um pouco mais barata, mas pela forma que este amigo conta também parece que mesmo assim não valeu a pena. Com um detalhe: ele está aqui em São Paulo, onde tudo está a mão, da informação às peças.

Repito: não monta. Eu estou tomando a dianteira e enviando sua mensagem para representantes de marcas de bicicletas que valem a pena. Provavelmente você vai receber algumas mensagens

Terminando: se puder vai para uma full "séria". Vale a pena

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

conforto do selim, tamanho da bicicleta e peso do ciclista

Nome: M
Idade: 47
Altura: 1,78
Mensagem: Quero saber sobre tamanho das bicicletas, tenho duvida qual tamanho do quadro para comprar, sei que existe números 19, 20, 21 e outros. Qual o correto para minha altura 1,78 cm, peso 93 kg. Sobre selin, qual o ideal para uso misto, passeio e velocidade, comprei um com gel tam anho grande e assim mesmo tenho algum desconforto? Agradeço, Mauricio Ramos
-----------------------------------------------------------------
M
boa tarde

Numa bicicleta de boa qualidade o peso não faz a menor diferença. Bicicletas de qualidade atendem ao padrão internacional, portanto são vendidas no mercado americano onde peso pesado é coisa comum. Já as bicicletas básicas e baratinhas vendidas por ai peso faz muita diferença. Estas bicicletas baratinhas mal agüentam uma criança leve e já quebram. Definitivamente não as recomendamos.

No site temos a página "que bicicleta comprar" - http://www.escoladebicicleta.com.br/medidaseuso.html - que tem a tabela tamanho ciclista X bicicleta.

Sobre o selim nós temos a página "acessórios e equipamentos" - http://www.escoladebicicleta.com.br/acessorios.html que explica a questão do selim. Posso adiantar que a questão não é largura ou quantidade de gel, mas que o selim atenda o formato de seu corpo. Com um detalhe: a bicicleta tem que ser correta para seu corpo ou vai ser muito difícil encontrar um selim confortável. Como está no site: sente em vários selins e descubra o que se encaixa melhor.

No seu caso a bicicleta provavelmente é uma tamanho 19 e com certeza não é uma 21. Fica ainda uma dúvida sobre a 20, que só vai ser resolvida com testes que devem ser realizado antes de comprar qualquer bicicleta.

Dependendo do fabricante e modelo escolhido o seu tamanho está entre o 19 ou 20 (mais para 19). Teste e saberá

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

capacete, cotoveleiras e luvas

Nome: F
Idade: 23
soube: Pelo Google
Mensagem: Parabéns pelo site. Muito completo, ético e excelente para iniciantes, como é o meu caso. No entanto, ainda ficou uma dúvida: além do capacete (obrigatório por lei), cotoveleiras e joelheiras são recomendadas? Vejo que a maioria dos ciclistas não utiliza. É algo que atrapalha a performance (e, conseqüentemente, diminui a segurança) ou é um item bom para se proteger?
No aguardo da resposta. Continue o excelente trabalho.
-----------------------------------------------------------------
F
boa noite

Agradecemos o comentário.

A minha posição é a seguinte: a verdadeira segurança só pode existir baseada em números, pesquisas, conhecimento. Aqui no Brasil há um certo desprezo por pesquisas e números, portanto não números a respeito sobre a questão do capacete. Mas há inúmeras pesquisas em vários países e todas apontam no sentido que capacete está muito longe de fazer os milagres que se crê aqui. Mesmo não existindo números aqui, médicos que trabalham em emergência de hospitais afirmam que a imensa maioria dos acidentados que sofreram alguma lesão na cabeça estas foram localizadas em áreas que não as protegidas pelo capacete, principalmente face e queixo, o que coincide com as pesquisas internacionais.

O capacete não é obrigatório por lei.
Para a segurança do ciclista é muito mais importante a qualidade da bicicleta do que o capacete, principalmente quando se trata de bicicletas básicas. Para você ter idéia da situação, o pessoal das concessionárias de rodovias, que tem os acidentes tabulados, afirmam que algo em torno de 35% dos acidentes fatais com ciclistas são causados por falha mecânica da bicicleta. Com a baixa qualidade destas bicicletas básicas e baratas, mesmo uma armadura não resolveria o problema. Mais importante que o capacete é ter uma bicicleta seguram, que não quebre.

Mas o capacete aqui no Brasil tem uma função muito importante, que é proteger do sol. Cancer de pele mata muito mais que acidente de bicicleta.

Minha posição é a seguinte: quem quiser usa, quem não se sentir cômodo não usa. É quase certo que vou ter que me acostumar com ele por conta de câncer de pele. Chapéu voa.

O bom ciclista não cai e não se acidenta. Esta é a verdade. Se caiu ou sofreu acidente é porque fez algo errado. Esta é a verdade. Não responsabilize os outros pelos próprios erros.
O que quero dizer é para sair sem nada e pedalar com sabedoria e bom senso. Como já disse antes uma armadura militar não vai protegê-lo de seus próprios erros.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta

www.escoladebicicleta.com.br

joelho operado, bicicleta correta e recuperação

Nome: U
Idade: 23
soube: Amigos
Mensagem: ola,
Quero voltar a pedalar depois de operar os dois joelhos por lesão condral. Parei de pedalar há muito tempo. Gostaria que vocês me indicassem boas marcas de bikes e qual eu deveria comprar já que estou voltando a pedalar agora. A bike Bicicleta Schwinn Mesa Comp - Aro 26 é uma boa bike? O problema dela é que tem um preço salgado.
Desde já obrigado.

-----------------------------------------------------------------

U
boa tarde

Primeiro ponto: gastar em qualidade não é gastar, mas investir em saúde.
Sobre a recuperação de seus joelhos (tive o mesmo problema):

  • a bicicleta tem que ser de tamanho correto para você. Você teria que fazer uns testes com bicicletas tamanhos 17 e 18 para ver com qual se dá melhor. É muito importante que a bicicleta tenha a distância entre caixa de direção e tubo de selim adequada para seu corpo. Acredito que a 18 fique melhor, mas eu faria uns testes com uma 17.
  • o pedivela deve ter 170 mm para o giro da perna ser menor e o ângulo máximo do joelho ser mais aberto, pelo menos no começo de seu retorno
  • no início de sua volta para os pedais o selim deve ficar uma pouco mais alto que o normal para você dobrar menor o joelho durante a pedalada
  • comece pedalando em distâncias curtas e planas, e girando um pouco mais que o normal. Não gire menos que umas 70 voltas por minuto; ou seja, gire mais que uma volta por segundo
  • nesta volta nunca pedale com marcha pesada
  • use as marchas para manter o giro constante e leve
  • vá aumentando a carga pedal e distância com muita calma
  • alongue depois de pedalar
Estou encaminhando sua mensagem para Teresa D’Aprile que vai orientá-lo sobre as marcas e opções

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br


quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Manual dos freios e as leis

Nome: v
Mensagem: Gostaria de saber se vocês têm fotos, manual ou algo para eu montar os freios da minha bike Prince DX 300?
grata
-----------------------------------------------------------------
V
bom dia

Pelo Código do Consumidor é obrigação legal do fabricante entregar um manual completo para o comprador. Bicicleta é, pelo Código de Trânsito Brasileiro, um veículo e deve ser entregue ao usuário em perfeita condição de uso.
Pela forma como faz a pergunta acredito que seja leiga em mecânica, portanto a recomendação que faço é que a bicicleta seja montada e regulada em uma boa bicicletaria, que por sua vez terá responsabilidade legal sobre o serviço realizado. Problema nos freios é uma das principais causas de acidentes com ciclistas no Brasil.
Nosso site tem uma página específica para mecânica de freios, mas, repito, não recomendo que o trabalho seja feito por leigo.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Bicicletas Monark, fatos e fofocas

Cara Fernanda, provavelmente, o meu amigo Arturo Alcorta não esteja informado sobre a nova fabrica da Monark construída na cidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo. Ainda não estive lá, porém pessoas que já visitaram me disseram tratar-se de empreendimento moderno, com tecnologia que lhes permite produzir com qualidade. A Monark optou por concentrar sua produção nas chamadas bicicletas de transporte, carga e infantis e mantém uma boa participação nos mercados Norte e Nordeste do Pais. Lógico, sem aquela antiga liderança que há muito perderam. A Caloi nunca foi líder nestes mercados. Tinha maior expressão no Sul, Sudeste e Centro-Oeste.Que hoje tem sido dominada pelas montadoras regionais. Suas instalações industriais estão agora na cidade de Atibaia, no interior de São Paulo e em Manaus. Não dá para entender as razões pelas quais a Monark abandonou as ferramentas de marketing e comunicação com o mercado. Há comentários que prefiro não divulgar. Quanto à competição com marcas internacionais, a Monark jamais participou. As marcas internacionais ainda tem uma participação muito pequena e a Monark não tem produtos para oferecer neste nicho.Por outro lado, dizem que o Sr.Marzagão, dono da empresa, tem administrado com muita competência e isto em gerado os números afirmativos dos balanços. È o que dizem aqueles que o conhecem mais de perto. A Houston, que fabrica no Piauí e prepara uma nova planta em Manaus, conta com um grande trunfo para a sua performance de vendas: entre outras empresas, são proprietários de uma rede de lojas de varejo chamada Armazem Paraiba com mais de 500 lojas espalhadas pelo Nordeste,Norte e Centro Oeste.
Espero ter ajudado com estas minhas opiniões que são baseadas em informações colhidas no mercado em minhas constantes viagens, principalmente para o Norte e Nordeste. Ainda hoje, muita gente pede bicicleta “encarnada” da Monark. Se for de outra cor, não é Monark...Entendeu?

Osmar Silva
Luanda Editores
55 11 3461 8400

Fernanda
boa tarde

O negócio do imóvel foi desfeito. E desconheço completamente a produção e venda de uma bicicleta Monark nestes últimos anos.

Monark sempre foi uma espécie de "predadora" de mercado. O dia que a Houston começou a fabricar no Nordeste a Monark pulou fora.
A história da Monark não é complicada. É cheia de detalhes contados aqui e ali, que fazem sentido, mas não são documentos, provas. O fato é que o oligopólio Monark / Caloi desmoronou, felizmente. Ninguém era bonzinho. A meu ver as duas marcas prejudicaram demais a bicicleta no Brasil. Contou-se muita história de tramóias e picaretagens. A maioria dos que viveram esta época já se foram. A história verdadeira nunca será contada, não interessa até para gente que não é do setor. Para se ter idéia, a memória da Caloi foi queimada no meio da pista de testes da Suzuki, um dos subprodutos da empresa lá pelos anos 90.

Lavagem?

Só para terminar: competição de internacionais? Piada! O problema com o setor brasileiro de bicicletas é qualidade, é desajuste em larga escala, e não raro é picateragem. Fazer as alegações que fazem sobre as importadas é brincadeira. Veja os números de importação, conheça o que é o setor aqui, descubra como funciona o setor no mundo. E finalmente: tenha em mente que bicicleta é um veículo, estabelecido por lei, Código de Trânsito Brasileiro, portanto tem que oferecer segurança aos usuários. O problema é outro.

A questão da bicicleta no Brasil é bem mais "divertida" do que pode parecer a princípio. Se um dia alguém for a fundo na questão vai descobrir coisas do "arco da velha", como se dizia antigamente.

Arturo Alcorta


Antes de tudo, gostaria de agradecer imensamente o retorno rápido de minha mensagem. Estamos tentando entrar em contato com a empresa a mais ou menos um mês. Descobrimos O Museu das Bicicletas justamente por causa deste post e resolvemos pedir ajuda.

O fato é que, ao que tudo indica, as Empresas Monark pararam de investir em campanhas de marketing, e já não há nenhum produto inovador da empresa há muito tempo. O que nos intriga é que os balanços patrimoniais ainda crescem, talvez devido a venda de um imóvel no valor de R$ 242,000 mil em 2010. Gostaríamos de saber se ainda existe alguma margem de competitividade da empresa com relação às grandes no mercado brasileiro, se a empresa possui alguma fatia de mercado atualmente, e sua evolução com relação aos produtos criados. Por que o então diretor das Empresas Monark preferiu se anular completamente no mercado? Eles não resistiram à competição com as grandes empresas internacionais? Há alguma expectativa de recuperação da empresa?

Qualquer tipo de informação com relação a Monark será super bem vinda.

Fernanda
boa tarde

O que posso dizer é o que o mercado diz: Monark não existe mais. Seu proprietário desmontou a fábrica na Marginal Pinheiros e pelo que contam não chegou a montar a nova fábrica. Parou as operações.
Quem conhece bem a história da Monark no Brasil é Valter Busto, do Museu das Bicicletas de Joinville. Estou encaminhando sua mensagem para ele

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br
-----------------------------------------------------------------

Mensagem: Olá, faço parte do corpo discente da FSCP, curso de Administração, e estou fazendo um estudo de marketing sobre as bicicletas Monark. Através de pesquisas relacionadas ao tema, descobri a Escola de Bicicleta. Venho por meio desta pedir auxílio com relação à história da Monark, devido ao escasso número de informações na Internet ou até mesmo no próprio site da empresa. Aguardo resposta.
-----------------------------------------------------------------


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

cicloturista cicloativista MG - Cochabamba, Bolívia

Nome: Elber Mourão
Idade: 36
Altura: 1,75
Cidade: Ribeirão das Neves (RMBH)
UF: MG
replyto: elber.mourao@ig.com.br

soube: Por sites de busca
Mensagem: Prezados Senhores
Estou me preparando para realizar em setembro de 2012 mais um evento cicloativista, que consistirá em um pedalada de cerca de 4000 km (Ribeirão das Neves/Cochabamba). Já venho atuando na divulgação das vantagens físicas, fisiológicas, a mbientais e econômicas; em jan/2010 realizei um pedalada de 3200 km de BH a Buenos Aires (
www.elbermourao.wordpress.com). Gostaria muito de contar com o apoio dos senhores nesse meu novo projeto.
Abraço a Todos

Elber Mourão
-----------------------------------------------------------------

Elber
boas


Divulgado
boa sorte
Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br
-----------------------------------------------------------------
Obrigado pelo retorno, divulgação é uma excelente ajuda...
se for possível, é uma chance de levar o nome de neves a mais pessoas
abração a todos

Elber Mourão

------------------------------------------------------------
Elber
boa tarde

A Escola de Bicicleta não tem condição de oferecer apoio.
Desejamos boa sorte

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br
--------------------------------------------------------------------
----- Original Message -----
From: Elber Mourão
To: formularionovo@escoladebicicleta.com.br
Sent: Monday, October 24, 2011 7:32 PM
Subject: mensagem via website
-----------------------------------------------------------------

erro de mexer bici de R$ 250

Nome: P
Idade: 28
Altura: 1,80
Cidade: M
Mensagem: Penso em pegar uma bicicleta barata de 250,00 e mexer nela, colocar trocadores/catracas Shimano, aro aero, essas coisas. Vi no site que não compensa. Quero quadro tradicional, sem nenhum amortecedor. Ou será que compensa pegar uma Caloi Aspen e fazer a 'mexida'? Ficaria melhor que a tal de 250 pratas?
-----------------------------------------------------------------
Paulo
boa tarde

Em grau, gênero e número, não vale a pena. Definitivamente não recomendo. Qualquer que seja a bicicleta ou a marca de bicicleta básica brasileira. Acaba saindo mais caro, não ficando bom e você não terá qualquer garantia. É um péssimo negócio.

Paulo: não existe milagre. Mesmo quando eu era jovem, quando havia uma grande dificuldade em encontrar tudo, o que nos empurrava a fazer o que você quer fazer hoje; naquela época já não valia a pena. Hoje há uma série de complicadores tecnicos no processo. Não vale a pena mesmo.

Todos nossos leitores que, mesmo avisados, partiram para "mexer", "melhorar", "incrementar" suas bicicletas acabaram escrevendo que se arrependeram. Todos, sem exceção. Não vale a pena. Bicicletas brasileiras na faixa abaixo de R$ 600,00 sem suspensão são frágeis, até perigosas. Quebram com facilidade, muita facilidade.

Ademais tem uma coisa: Você tem 1,80m e a bicicleta citada, como qualquer outra básica na faixa de preço dos R$ 250,00, é tamanho 19, portanto pequena para seu corpo. Você precisa de uma tamanho 20 ou até talvez uma 21. Não há nenhum modelo básico que custe tão pouco  e seja tamanho 20 ou 21.

Talvez a saída seja tentar encontrar uma importada tamanho 20 do início dos anos 90, até lá por 1995, que é uma geração de ouro de bicicletas. Estas sim o conjunto quadro e garfo  tem qualidade suficiente para valer a pena gastar em cima. Mas dentro de um limite racional.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Rodona aro 36 - resposta do Oscar

Prezado Arturo,

Estou Muito Grato por sua resposta rápida e muito esclarecedora.
Eu tenho duas bicicletas simples. Uma é aro 26 full supension já com 6 anos sem dar oficina que utilizo para pequenas compras ou idas e vindas perto de casa. e uma GT aro 28 Nomad para passeios mais longos.Não é full suspension como a anterior, mas tem suspensão no Canote e no garfo dianteiro, tornando-a bem mais macia e prazerosa que a 26 full.
Mas, depois que pedalei nesta bicicleta maior, achei a 26 muito pequena e quase não a utilizo, mas apenas para poupá-la.
Por isto achei que uma Bicicleta com as "rodonas 36" tendo além das rodos grandes um câmbio interno no cubo traseiro de 3 velocidades (inexistentes nas bikes do Brasil), poderia ser o paraíso de um ciclista descompromissado com performances ou desempenhos como eu, que pedalo uns 30 km por dia, por puro prazer. Li estes comentários negativos sobre a bicicleta 36, mas o que me atraiu nesta com rodas enormes, foi um vídeo que vi no YouTube, onde ela sobe fácil uma enorme escadaria contando com apenas uma velocidade. Imaginei o quão melhor subiriam com 3 velocidades. (Por favor assista o vídeo abaixo)

- Sou aposentado Há mais de 15 anos, beiro aos 70, e pedalo desde então muito mais que antes quando estava na labuta. Cheguei a vender o carro por conta disto e não penso voltar a tê-los.
Acontece que fico muito triste e decepcionado com a indústria brasileira, que possui séculos de existência, mas que fabrica apenas veículos de outros países. Não temos nenhum carro genuínamente brasileiro, sendo que até as bicicletas novas, são construídas na China (a GT acima, mesmo sendo marca americana, é uma delas). Todas, com peças Shimano para vender melhor.
Aqui, apenas são montadas sendo que algumas, com nomes de empresas Brasileiras. Mas de brasileiro só levam o nome ou alguns sócios.
Pior, em se tratando de repor peças,a dificuldade é igual as estrangeiras, pois as daqui - sem mais e nem menos- param de fabricar certos modelos e termina qualquer possibilidade de reparo por baixo preço. Sendo que a tal garantia da Caloi, é uma zombaria.

Pensei em comprar uma Fisher que se encontra em promoção na <
http://www.ciclogiro.com.br/webstore/details.aspx?id=1545265 > que é uma 29er com suspensão apenas na frente, mas eu colocaria um canote com suspensão no Selim. Sendo o que me atrai nela, é o preço de 2.660 reais por se tratar de importada, a sua qualidade e a boa relação dos câmbios assim distribuìdos: Pedivela: Shimano TX M171, 42/34/24 e na traseira Cassete: Shimano HG31 11-34, 8 speed sendo esta ultima com melhor resultado numa reta plana 11 x 42 (a qual melhor seria se fosse um coroa do pedivela com 48 dentes ou mais).
- Mas de qualquer forma aro 26 não gostaria de voltar a ter, não.
Vou conservar a 26 full que ainda tenho, por estima.

Arturo, favor ver o vídeo da 36, encarado uma escadaria de concreto sem cambio.
http://www.youtube.com/watch?v=fYt6IqaHk_Q&feature=related
Fiquei louco de vontade para fazer o mesmo. (hohohoho nem pensar.)
Mais uma vez meu muito obrigado.

Abraço
Oscar

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

bicicleta aro 36, conforto e praticidade

 

Idade: 65
Altura: 1,70
Mensagem: Gostaria da sua especial gentileza ao me informar mais sobre bicicletas com rodas grandes, muito maiores que as 29er com aro 28 ou 700, cujo tamanho é alcançado pela espessura dos pneus. Refiro-me a as bicicletas com rodas 36 polegadas com 48 raios, derivadas das "unibikes", aquelas de circo, com uma roda só (monociclos).
Qual a sua performance? Se são mais seguras e confortáveis, face a facilidade com que tais rodas gigantes, são bem melhores para enfrentar qualquer irregularidade ou "crateras" das pistas.
Ou, qual a sua opinião sobre estas bicicletas dos links abaixo.
http://www.cokercycles.com/monster-crusier
(Talvez fabricada pela Indústria Americana de pneus Coker)
Muito Obrigado.

-----------------------------------------------------------------
boa tarde

Li o teste na Bicycling (se não me engano) da bicicleta que está na página inicial do link que me mandou. Não me lembro exatamente o que diziam, mas falavam sobre muito conforto, mas também citavam a questão da dificuldade para quebrar a inércia e dureza nas subidas. Eu só traria uma bicicletas para o Brasil se eu tivesse uma condição muito especial financeira porque a manutenção vai ser muito complicada e cara. Qualquer coisa que der problema nas rodas você terá que trazer dos EUA, o que é caro, chato e muito demorado, quando chega.

Hoje há no mercado brasileiro uma série de marcas que oferecem bicicletas 29, que rodam bem e são muito macias. Se você quer o máximo de conforto parte para comprar uma 29 full (suspensão dianteira e traseira), que são caras, mas oferecem um nível de conforto muito alto, provavelmente mais alto que da 36 de seus sonhos. Aliás, não precisa ir tão longe. Uma ful aro 26 "four links" de boa qualidade, com amortecedores reguláveis a ar, vai ser bem mais barata e oferecerá um ótimo nível de conforto e segurança, e o a facilidade e custo de manutenção serão bem menores. Você já rodou numa destas? Experimenta e verá. Testa uma KHS 104, que é das melhores básicas vendidas no Brasil, que mesmo sem amortecedores sofisticados "limpa" os buracos de uma forma surpreendente.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br
 

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Nome: M
Idade: 64
UF: PE
Mensagem: No início deste ano roubaram o meu carro e uma das consequências, (a melhor), foi passar a gostar andar de bicicleta. Minha mulher já possuia uma bicicleta simples, usada para ir na casa da avó, no mercado, etc. Eu, que a criticava muito por isso, passei a gostar e decidi comprar uma bicicleta para mim. Acontece que eu gostaria de associar as três qualidades: amortecedor dianteiro, freio ótimo e câmbio bastante sensível, assim como, componentes de qualidade, tudo numa bike que eu pudesse também ir até o supermercado e trazer uma compras e até mesmo, levar minha neta a um pequeno passeio. Mas conforme a pesquisa que eu fiz, não existe essa configuração no mercado. Será que os senhores podem me ajudar. Penso gastar até R$ 800,00. Será que os senhores podem me ajudar a encontrar o que estou buscando? Agradeço antecipadamente toda a atenção que me dispensarem. Fico no aguardo de uma resposta muito em breve.
-----------------------------------------------------------------
M
bom dia
"Você está pagando a língua" - como se dizia antigamente. Pedalar na cidade é ótimo. Carro é insuperável para um monte de coisas, mas suas qualidades estão cada dia mais limitada pelo caos urbano conseqüência dele próprio. Isto é bom porque as pessoas, como você, estão descobrindo que a vida é maior que a vida motorizada. Espero que esta experiência atual ajude a ver a cidade e a vida com olhos mais abertos. Também sou avô e acredito que só olhando sem preconceitos é que iremos construir uma vida melhor para nossos netos. Parabéns pela mudança.

Seu tamanho de bicicleta é 18. É possível que encontre alguma bicicleta tamanho 19 que seja mais curta, ou seja, que tenha distância menor entre guidão e selim, mas o correto mesmo é comprar uma tamanho 18.

O que você deseja tem um custo, que é maior que pretende gastar. O custo de uma bicicleta que funcione relativamente bem começa em R$ 750,00. Abaixo disto eu não recomendo qualquer bicicleta porque a qualidade costuma ser baixa, até perigosa. Na faixa dos R$ 750,00 há a Caloi 100 Sport e um modelo da marca Soul.
O ideal seria você entrar na faixa dos  R$ 1.100,00, onde você vai encontrar uma gama de opções muito maior. Neste preço a qualidade da bicicleta é a que você pretende: suspensão dianteira que funciona, freios bons, câmbio preciso, e principalmente qualidade. A bicicleta vai rodar fácil, não vai apresentar problemas, vai durar. A diferença para as bicicletas da faixa dos R$ 800,00 é bem sensível. Vai até uma bicicletaria e pede para fazer testes e perceberá a diferença.

Você tem que tomar a decisão rapidamente porque vai aumentar o imposto sobre as importadas. Os modelos que hoje custam por volta dos R$ 1.000,00 vão passar a custar mais de R$ 1.300,00.

Procure pelas marcas Caloi, Soul, KHS, Diamond Back, Merida, e qualquer outra importada que seja distribuida no mercado americano e europeu. Se não tiver referência da marca entra no Google e checa. É fácil.

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
http://www.escoladebicicleta.com.br/

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

"Calçadas foram feitas para uso dos pedestres!".

Data: Domingo, 2 de outubro de 2011 às 17:25:26
-----------------------------------------------------------------
Nome: Eléia
soube: Programa TV - ALESP
Mensagem: Boa Tarde!
Tenho visto inúmeras reportagens sobre o uso de bicicletas em São Paulo. Aplaudo todas as ações para protegermos o meio ambiente, principalmente numa cidade complicada e poluída como São Paulo.
No entanto, tenho uma crítica a fazer: os ciclistas estão saindo das avenidas e andando sobre as calçadas em velocidades absurdamente irresponsáveis.
Assim, os pedestres agora, além de correrem perigo pelos "loucos" motoristas dos carros, têm também que se cuidarem para não serem atropelados pelos ciclistas.
Vocês deveriam também fazer uma campanha:
"Calçadas foram feitas para uso dos pedestres!".
Atenciosamente,
-----------------------------------------------------------------
Eléia
bom dia

Estes e outros fatos infelizmente têm acontecido e infelizmente é muito difícil controlar. Eu, Arturo Alcorta, e nós, equipe Escola de Bicicleta, fazemos pressão em vários setores da sociedade, entre ciclistas, departamentos de trânsito e Poder Legislativo, jornais, entrevistas, no sentido que o uso da bicicleta seja organizado e civilizado.
Minha primeira ação no sentido de controlar o uso inapropriado da bicicleta, como na lei apresentada à Câmara dos Vereadores, lá pelos anos 80, que estabelecia mudanças nas bicicletas de carga e para trabalho (entregas) e a obrigatoriedade de fixação de placa com telefone do responsável pelo veículo, regulamentava sua condução; dentre outras.

Considero que o crescimento do uso da bicicleta está desordenado e se não continuar neste abandono pelas autoridades tende a piorar, infelizmente. Aliás, como tudo. Consideramos (ai posso falar em nome da equipe) que a solução passa também, mas não só, pela educação ou punição do ciclista, com a que concordamos. A Escola de Bicicleta é legalista por princípio.

A Escola de Bicicleta tem sido convidada para dar várias palestras e participar de congressos onde fazemos questão de citar que "a solução da violência em nosso país passa pela reestruturação de nossas cidades, por uma cidade voltada à vida, e que a principal meta desta transformação deve ser o respeito a pedestres, deficientes físicos e de mobilidade (grávidas, crianças, idosos...)... Neste contexto a bicicleta é só um fator a mais na construção de um futuro mais digno, confortável e seguro para todos"

No caso destes ciclistas ou de qualquer cidadão mal educado cabe a nós repreender quando possível e acionar a lei. Como as duas ações estão cada dia mais difícil de realizar, fica a recomendação de que exerça pressão sobre o Poder Público através de protestos publicados em qualquer mídia. É uma ação que tem se mostrado eficiente

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br