quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

pedalar na contramão

Nome: A Idade: 16 anos
Cidade: pequena
UF: MG
Mensagem: Olha só eu ando muito de bicicleta em estradas e acho que andar de bicicleta na contra mão é uma forma de prestar atenção em quem vem na sua direção, pois se um carro que vem na sua frente desvia r de um buraco e jogar pra cima de você, você poderá se defender, se jogando em um barranco por exemplo (não que isso seja a melhor forma).Mas e se você está na mão certa e um carro que vem na suas costas jogar para cima de você, você não verá e não será capaz de se defender. Andar na contra mão é uma forma de manter contato visual com o veículo que passa ao seu lado.
Gostei muito do seu site, tem boas dicas para manter uma vida atlética saudável. Obrigado pela atenção.
Abraços.
A
-----------------------------------------------------------------


A
boa tarde

Eu entendo a sua posição, mas segurança não é o que a gente acredita, mas uma ciência praticamente exata que é construída nos números existentes, no caso, números sobre acidentes.

Pedalar na contramão é o que mais mata ciclistas no mundo, não só no Brasil. Quando você bate de frente você tem um impacto que soma a velocidade da bicicleta com a do automóvel. Se o ciclista estiver a 20km/h e carro a 40km/h, o choque do ciclista no carro será de 60km/h, mortal para qualquer pessoa. Se o ciclista estiver na mesma direção do carro a velocidade de impacto será a do carro menos a do ciclista, ou seja, 20km/h, o que é uma batida muitíssimo mais leve e provavelmente não mortal. As velocidades numa estrada são maiores, portanto a situação é mais crítica.

Há um outro fator importante: quando o ciclista bate de frente ele tem um instinto natural e trava o corpo, o que aumenta muito ferimentos e fraturas. Quando o ciclista é pego por trás ele normalmente está com o corpo mole, o que ajuda absorver o impacto. É o que na segurança do trânsito chamamos de "efeito bebado", porque bebado fica com corpo mole e quando cai no chão dificilmente se machuca.

Como ciclista, como alguém acostumado com trânsito pesado e difícil, como alguém que acompanha esportes de velocidade há mais de 40 anos, tenho certeza absoluta que nem piloto de Formula 1 tem reflexo para desviar a bicicleta na hora de um acidente. Sempre digo nas palestras que o ciclista é o coelho e o carro é o caçador, e que se o tiro for dado na direção do coelho ele não vai conseguir pular fora. Provavelmente ele se machuca ou morre.

Os índices nacionais e internacionais mostram que a maioria dos acidentes graves envolvendo bicicleta o ciclista estava na contra-mão. Acidentes onde o ciclista é pego por trás são raros.

Não pedale na contramão

Arturo Alcorta
Escola de Bicicleta
www.escoladebicicleta.com.br

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Sou Europeu e amante da bicicleta desde que aprendi andar aos 5 anos. Causou-me espanto quando cheguei ao Brasil, ver os ciclistas andarem em contra mão na via pública!!! Nunca por mim visto, pelo menos em países e continentes por onde já passei, "nem em África". Penso que no Brasil, o que falta é informação e intervenção dos agentes do trânsito visto que existe legislação nesse sentido. Nada se faz para cumprir a lei... Quando vou dar a minha volta de bike, vejo inúmeros ciclistas a cometer esse erro e com simpatia; informo que não devem cometer tal atrocidade. Alguns acatam outros ignoram, fazer o quê!? “Nem explicando porque é menos perigoso”... Por isso reafirmo as autoridades tem um papel importantíssimo, onde se deveria dar muito mais importância ao ciclista, fazer programas de intervenção e sensibilização. Existem países que até o uso do capacete é obrigatório, mas para isso existe uma lei que é cumprida a rigor. Estamos no séc.XXI, sendo a bicicleta um transporte alternativo de grande impacto nos grandes centros urbanos, vamos alertar as autoridades deste país para que faça algo nesse sentido. Em nenhum país em que a bicicleta é utilizada com frequência como meio de transporte, as autoridades são impunes à lei. Terá que haver autoridade para se educar o automobilista, o ciclista e o próprio pedestre, nada se faz sem intervenção...
    Predisponho-me a ajudar no que for de interesse para toda a grande família de “ciclistas”
    Parabéns pelo blog, é de excelente teor informativo e interventivo...

    ResponderExcluir