quarta-feira, 29 de julho de 2015

Caloi Sport Confort 2015 - teste

A Caloi Sport Confort foi a bicicleta inicial de vários amigos, todas recomendadas por mim. É uma bicicleta correta, simples, estável, que funciona bem, durável, prática. Continuam rodando sem problemas depois de muitos anos. E espero que continue sendo por que fiz um amigo comprar três de uma só vez. Mas... depois de retirar as bicicletas da loja fiz o ajuste fino e fiquei triste com o que vi. As bicicletas saíram rodando direitinho, mas...
Problemas:
  • Movimento central completamente solto em uma, incluindo a bacia direita, e muito preso nas outras duas. Numa delas a caixa do movimento central tinha a face direita desalinhada ou pela pintura ou por erro de corte do tubo na hora da fabricação. Ou pior, por ser ponta de tubo. Se é erro de corte do tubo eu teria uma imensa curiosidade em ver o torno (que faz o corte do tubo que depois de soldado ao quadro vai resultar na caixa do movimento central) para entender como um torno industrial consegue fazer o corte do tubo desalinhado.
  • Caixaria, eixo e bacias dos três movimentos centrais que peguei eram péssimos; simplesmente não deram regulagem. Giravam, travavam, giravam um pouco mais e travavam.... Eu queria entender como um fabricante joga no mercado um eixo de movimento central fora do centro. Gostaria de ver o torno que produz o eixo que vem montado nestas novas Sport Confort. A fábrica não tem ferramenteiro? Ou o diretor industrial não desce para o chão de fábrica, coisa que ainda acontece no Brasil. Ou o engenheiro, que deve ser novinho, inexperiente, tem uma soberba sem tamanho por que está formado nesta ou naquela universidade? Também acontece.
  • Hoje estive numa bicicletaria que foi sempre uma verdadeira parceira da Caloi, contei o caso e o proprietário me disse que por coisas como esta parou de trabalhar com o modelo e a marca. Triste! Será que a Dorel tem conhecimento?
  • Em duas delas a numeração, que fica no movimento central, estava muito fraquinha, quase invisível. Excesso de tinta ou não foram numeradas? Se não foi numerada pode apontar para uma possível sonegação. Não acredito nisto, já que Caloi tem lutado para a legalização do mercado de bicicletas.
  • As três bicicletas tinham “uma certa” variável na traseira. Vou ter que ver mais tarde, na segunda revisão, para descobrir se é erro de centragem das rodas ou desalinhamento da traseira. Aposto no desalinhamento da traseira, velho problema das bicicletas brasileiras. Aliás, não só as traseiras; muitos garfos de bicicletas básicas saem de fábrica completamente fora do centro. Ridículo!
  • A guia de cabo do câmbio traseiro está soldada fora de posição, desalinhada, na forquilha de selim, o que torce o cabo e faz com que as trocas de marchas fiquem um pouco mais duras ou imprecisas.
  • Os aros continuam com a maldita rebarba e ou desalinhamento na emenda. Por isto as bicicletas novas mais baratas freiam aos tranquinhos. Também gostaria de ver as máquinas que fazem o corte e a emenda. Talvez o diretor industrial não pedale seus produtos e nunca desce para o chão de fábrica. Não ouvir as críticas já sabemos que não ouvem. Acertar as máquinas para que o corte e emenda do perfil que faz o aro sejam precisos é brincadeira. Chama o ferramenteiro e deixa o homem trabalhar sossegado.
  • E ai vem a verdadeira vergonha nacional: câmaras de ar Levorin. Quando fomos pegar as bicicletas na loja uma das bicicletas já estava com o pneu completamente murcho. Tiramos a câmara e o defeito era na emenda. O vendedor abriu uma gaveta das grandes cheia de câmaras com defeito e enquanto procurava por uma nova contou que é o problema mais comum nas bicicletas mais simples. Sempre foi. Levorin melhorou muito boa parte de sua linha de pneus, mas pelo jeito as câmaras de ar continuam as mesmas de sempre. Vem com a válvula mal apertada, tem micro furos, problemas nas emendas... Não sei qual é o percentual, mas sei que as bicicletarias que tem um público mais exigente se recusam a vender câmaras Levorin. Deprimente! E ninguém faz nada, nem clientes, nem PROCON, nem Ministério Público. É uma sacanagem com o cliente é mais sacanagem ainda com o meio ambiente.
A maluquice é que a Caloi Sport Confort continua sendo uma das melhores opções entre as bicicletas nacionais. As de hoje são piores que as antigas, mesmo assim quando bem revisadas e reguladas são agradáveis. E eu espero que não tenha entrado numa fria com minha recomendação.
Triste mesmo é a Caloi descuidar tanto de um de seus melhores e mais tradicionais produtos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário